Tomei a primeira dose da vacina e peguei Covid, quando devo tomar a segunda dose?

Legenda: Até o momento, 21,8% da população enquadrada neste primeiro momento foi alcançada no Estado - Foto: Camila Lima

O registro do primeiro caso no mundo de um bebê recém-nascido com anticorpos contra o novo coronavírus a Covid-19 levantou diversas dúvidas sobre os efeitos e possíveis restrições envolvendo a vacinação contra a Covid-19 que exige duas doses para a maioria dos imunizantes. 

O Diário do Nordeste conversou com dois especialistas o imunologista da Universidade Federal do Ceará (UFC), Edson Teixeira e a epidemiologista, virologista e professora da Faculdade de Medicina da UFC, Caroline Gurgel para esclarecer as principais dúvidas.

Estou com suspeita de Covid-19. Posso me vacinar?

Segundo Edson Teixeira, a suspeita deve ser investigada. Sendo necessário fazer uma consulta e possivelmente o exame RT-PCR. Se der positivo, o isolamento deve ser iniciado e ser feito o acompanhamento da evolução do quadro. Caroline Gurgel aponta que não existe nenhum estudo que contraindique a pessoa infectada com o vírus de tomar a vacina. Mesmo assim, a recomendação da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) é que a vacinação seja remarcada.

Tomei a vacina e peguei a doença, quando devo tomar a segunda dose?

Caroline Gurgel, afirma que devem ser respeitadas as indicações feitas pelos fabricantes, que notificam que a dosagem deve ser tomada após 28 dias da primeira dosagem. Informação enfatizada pela Sesa em sua nota técnica.

O que acontece comigo se eu adoecer após me vacinar?

Não há evidências de interferência entre a vacina e o desenvolvimento do quadro de Covid-19, conforme explica Edson Teixeira. Deve-se manter o protocolo de acompanhamento médico normalmente e, após o período de isolamento e desaparecimento dos sintomas, agendar a segunda dose.

Existem relatos de pessoas que após tomar a vacina se infectaram por Covid-19. Isso é possível, de acordo com Caroline Gurgel, porque o organismo precisa de um tempo para produzir os anticorpos em quantidade suficiente e necessária para combater o vírus. Além disso, apenas uma dose não tem a eficácia necessária para evitar a infecção. São necessárias as duas doses.

Acerca dos sintomas, se for somente uma dose, eles podem aparecer de forma leve a moderada. Grupos de risco (idosos e pacientes com comorbidades) mesmo tomando uma dose, como o organismo continua exposto, podem apresentar com casos graves. A vacina, para ser eficaz, precisa das duas doses.

Se eu me vacinar e contrair Covid, ainda tenho que ficar os 14 dias de isolamento?

Sim. Afinal, segundo Edson Teixeira, o indivíduo só é considerado imune após 14 dias da segunda dose. Conforme lembra Caroline Gurgel, o isolamento dos infectados é a melhor forma de controle da pandemia. "Estar vacinado não significa que eu não esteja mais transmitindo o vírus, portanto isolamento e o uso de máscaras são essenciais", conclui.

Quais serão meus sintomas se ficar doente depois de me vacinar?

Sem o esquema vacinal completo, qualquer espectro da doença pode ser observado, aponta Edson Teixeira. A proteção para casos graves somente ocorrerá após 14 dias do esquema completo da vacina. Segundo o infectologista, espera-se, conforme estudos da fase 3, que o indivíduo não adoeça e caso adoeça sejam somente sintomas leves e toleráveis. 

Assim como lembra Caroline Gurgel, mesmo vacinadas, as pessoas podem adquirir o vírus, mas os sintomas serão leves, sendo o principal objetivo da vacinação a redução de mortes e internações. Mas que, mesmo após a vacinação, se faz necessário o uso de máscara para conter a transmissão do vírus e reduzir a possibilidade de surgiram novas mutações, pois a vacina pode não ter efeito nas novas variantes. 

Quando a proteção contra a Covid-19 vai começar a fazer efeito?

Segundo Edson Teixeira, 14 dias após a segunda dose da vacina a pessoa já terá proteção. Porém, de acordo com Caroline Gurgel, talvez demore um pouco mais, aproximadamente 21 dias a um mês após a segunda dose para um melhor efeito. Quanto ao resultado na comunidade, é preciso esperar que 70% a 80% das pessoas estejam vacinadas para analisar os dados epidemiológicos de transmissão. 

É possível adoecer mesmo após ser vacinado?

Os dois especialistas apontam que antes de terminar o esquema vacinal (duas doses com intervalos apontados em cada bula), qualquer pessoa pode contrair a doença. O proposito da vacina é mesmo que o indivíduo seja exposto ao vírus ele tenha sintomas bem leves ou nenhum.

Já tive covid, tenho anticorpos e tomei a primeira dose. Ainda devo tomar a segunda?

A imunidade natural (provocada por doença) não possui um tempo exato de permanência, logo é preciso fazer o esquema vacinal em duas doses conforme recomendado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), explica Edson Teixeira.

Ao tomar a vacina, mulheres gravidas terão filhos imunizados? Como o caso que aconteceu recentemente?

Mulheres grávidas transferem anticorpos para seu bebê e isso os mantém protegidos por algum tempo (cerca de 6 meses). Isso acontece com todos os anticorpos da mãe e não somente os contra Covid-19, segundo Edson Teixeira.

Caroline Gurgel explica ainda que quando as gestantes são vacinadas, essa imunização passa para o bebê via placenta. Isso acontece com a antitetânica ou DTPa (Contra difteria, tétano e coqueluche acelular). A mesma coisa foi observado com a vacina Covid-19, esse fato acende as esperanças de vacinar as gestantes e tanto elas quanto os bebês ficam imunizados.

Por Diario do Nordeste

Redação

Técnica de redação é o nome que se dá à prática de escrever para a imprensa ou veículos jornalísticos. A redação jornalística é o estilo de prosa curta, utilizado em matérias jornalísticas e boletins noticiosos publicados em jornais, revistas, rádio e televisão.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem